Conhecimento Cientifico vs. Conhecimento Popular

VN:F [1.9.22_1171]
Rating: 10.0/10 (1 vote cast)

Este artigo foi escrito baseado numa resposta que dei a um comentário no artigo “500 denúncias de pedofilia na igreja” que escrevi e postei aqui no Livres Pensadores no dia 04/05/2011.

“Toda generalização é burra, incluindo esta”

Diz o conhecimento popular. Isto é válido para o conhecimento científico? Bem… Não, não é. Há uma enorme diferença entre ambos os tipos de conhecimento, sobre a qual falarei um pouco aqui.

Primeiro, vou tentar te explicar o conhecimento científico dando um exemplo na estatística. Digamos que temos uma moeda. Ela tem 2 lados e, se a jogarmos para cima 1 vez, ela cairá em cara ou coroa. A chance de uma ou outra face é de ½ (número de jogadas/número de faces), ou seja, de 50%. Se a jogarmos 10 vezes, a chance de cada lado será de 10/2, ou seja, de 5, portanto também 50%.

Correto? Bem… Isso significa que se eu pegar uma moeda aqui e a jogar 10 vezes para cima ela cairá exatamente 5 vezes em cara e 5 vezes em coroa? Não. Na realidade, mesmo não sendo uma moeda viciada, ela pode cair 10 vezes de um lado só. Isto é extremamente difícil de acontecer, mas é possível. “Dentro do normal”, ela cairá 6 vezes para um lado e 4 vezes para o outro e é isto que gera o que chamamos de “margem de erro” (a exceção na regra, digamos).

Contudo, quanto mais aumentarmos o número de jogadas, menor será esta margem de erro e algo muito mais próximo de 50% a 50% ocorrerá. Ainda assim, não será exato.

Então você perguntaria “mas como você pode dizer então que a chance de cara ou coroa é de 50%?”. Bem… Generalização. E ela é largamente utilizada na ciência. É usada, inclusive, para a criação de teorias científicas, que não representam o particular, mas o geral. A partir deste geral, aí sim, pode-se começar a buscar por exceções, para tentar aperfeiçoar a teoria. E isto acontece o tempo todo, a ciência está constantemente se corrigindo e afinando suas equações.

Mas, claro, esta generalização não pode ser solta, ela tem de vir acompanhada de uma boa dose de explicação, como basicamente fiz acima com a história da moeda jogada ao ar. Se quiser, você pode ler um estudo científico inteiro sobre a generalização na ciência clicando aqui.

“E o conhecimento popular?”, você me pergunta. Bem, este está lotado de mitologias (misticismo, religiosidade, crenças de todo tipo, etc), às quais algumas ciências sociais estudam, contudo apenas para conhecer como o ser humano pensa e age, sem dar maior valor a isto.

Assim, o conhecimento popular até pode iniciar uma discussão científica, ou até mesmo gerar estudos científicos mais cuidadosos. Mas ele (conhecimento popular) não decide pela ciência, ao contrário: a ciência o comprova, desprova, desmistifica, esclarece. Apenas isso.

Bons exemplos destes tipos de estudos, mas não tão cuidadosos (claro), você pode assistir no ótimo programa Caçadores de Mitos, que é televisionado pelo canal Discovery Channel aqui no Brasil.

Assim, por favor, tenham cuidado ao argumentar, principalmente quando não tiverem certeza se o que falam é baseado em conhecimento popular ou conhecimento científico. Há ótimos textos sobre ciência, explicando o que é a ciência, de monte na internet. Só não aprende realmente quem não quer.

O mais importante de tudo, acho, é algo muito simples: com ciência criamos até aviões, com conhecimento popular, não. Com ciência salvamos vidas, com conhecimento popular, não. Ou seja, ciência funciona, conhecimento popular não.

 

Detalhe importante: não pretendi, com este artigo, encerrar a discussão sobre conhecimento científico e conhecimento popular. Este é apenas um dos temas envolvidos e, claro, sempre pode ser melhor discutido. ;)

Conhecimento Cientifico vs. Conhecimento Popular, 10.0 out of 10 based on 1 rating

Autor(es):

Mário César

Sou formado em Engenharia de Software e QUASE em Ciência da Computação (não concluí). Pretendo, agora, fazer astronomia na USP assim que possível para, depois, me especializar em astrobiologia. Sou um apaixonado pela ciências em geral e gosto muito de investigar alegações extraordinárias (como a ufologia, por exemplo).

Todas as postagens do(a) autor(a)

Leave a Comment

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *


4 − = três

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>