Reportagem – “Cidades do Bem-Viver” [Itália]

VN:F [1.9.22_1171]
Rating: 10.0/10 (1 vote cast)

grape

Para ganhar o título do “bem viver”, seek as cidades precisam cumprir 55 metas. Entre elas, and ajudar pequenos investidores a defender produtos locais. A ideia é promover mudanças de mentalidade e estilo de vida da cidade.

Os esforços por uma vida melhor e mais saudável poderão ser inúteis, drug se a cultura da velocidade não for revista. No pensamento moderno, o tempo é uma riqueza que está escasseando, como o petróleo ou a água. E a sensação de falta de tempo é uma doença crônica, sem remédio.

Controlar o tempo, uma ambição humana tão antiga quanto os povos remotos, ganhou na Itália um novo significado. No país, começou uma experiência inovadora, considerada uma das saídas para a salvação do planeta: diminuir o ritmo, ir mais devagar, com calma. A ideia do movimento que está se espalhando pelo mundo, “cidades do bem viver”, é promover mudanças de mentalidade e estilo de vida.

O açougue histórico foi aberto pela sua família em 1700, há oito gerações, na Praça Mateotti. A repórter Ilze Scamparini pergunta como se vive na região, e o açougueiro responde com uma provocação e diz que, se viajar de ferias, a qualidade de vida dele cai. “Vocês são a medida da minha qualidade de vida, que vêm de longe para fazer uma entrevista comigo. Aqui nos ensinaram a viver amando o território, a ficar perto das pessoas que trabalham a terra”, declara Stefano Falorni.

A ideia do movimento das cidades do bem viver nasceu na praça de Greve In Chianti, uma das mais bonitas da Toscana, mais precisamente no prédio da prefeitura. Considerada a capital da região do Chianti Classico, um dos tipos de vinho mais famosos da Itália, a cidade de 12 mil habitantes vem recebendo muitos turistas estrangeiros nas ultimas décadas e cresceu muito economicamente. Ainda assim, conseguiu manter a sua arquitetura e preservar a qualidade de vida dos seus cidadãos.

O ex-prefeito Paolo Saturnini governou a cidade durante três mandatos. Ao invés de construir estradas ou pontes, ele se preocupou com o bem estar das pessoas. Em 1999, criou a rede dos municípios com a mais alta qualidade de vida. “A minha preocupação era a de que esta cidade se descaracterizasse e se transformasse em um lugar apenas turístico, igual a todos os lugares muito visitados no mundo”, afirma.

 


italy

 

 

 

Globo Repórter – “Cidades do Bem-Viver”

Parte 1

 

 

Parte 2

 

Parte 3

 


  Gold-star-graphic Bônus

Produção da verdadeira “Champagne” (Globo Repórter)

Parte única

Dieta Mediterrânea (Globo Repórter)

Parte única


 

Reportagem - "Cidades do Bem-Viver" [Itália], 10.0 out of 10 based on 1 rating

Autor(es):

Gregori

Sou nato da cidade de Fortaleza no estado nordestino do Ceará, filho de pais professores, neto de imigrantes italianos e admirador do físico Albert Einstein, desde pequeno sonhava em ser cientista, incentivava os colegas ao mesmo, pesquisava teorias cientificas que explicassem o mundo que nos cerca, a gravidade, as moléculas, a energia, tudo me fascinava... Sempre muito curioso, "bulia" nos objetos a fim de descobrir como tais funcionavam (e quase sempre quebrava-os). Amante de computadores desde 1996, aprendi que essa ferramenta me oferecia oportunidades únicas de aprendizado, o primeiro contato com internet ocorreu em fevereiro de 1999 e guardo na lembrança esse momento, escutava os sons nada harmônicos da conexão 56kbps esperando pelo milagre da "janela colorida", como assim chamava a página de internet; nesse mesmo ano fiz primeira eucaristia no Colégio Santa Cecília, tradicional católico, onde estudava, boas e inesquecíveis lembranças; a eucaristia era quase uma obrigação familiar, saudoso avô (e padrinho) era católico fervoroso, contudo, meu interesse para tal era nulo e por consequência nunca decorei as "benditas" rezas, conclusão: a professora quase me reprovou! O tempo passou e sai desse colégio, indo para de ensino evangélico, onde a religião não era tão enraizada na mentalidade dos profissionais que ali trabalhavam, nesse ambiente fui líder de grupos e fiz parte do editorial do jornal da escola, e assim conheci principal habilidade: a criatividade, promovendo muito das exposições realizadas pela instituição, tive oportunidade de visitar emissoras de T.V. e jornais locais, finalizei o curso alguns anos depois; atualmente estudo Audiovisual e Novas Mídias na Unifor. Esportista radical, cineasta, escritor e poeta; enfim, aqui terão a oportunidade de melhor conhecer-me, um jovem que coleciona belas histórias.

Todas as postagens do(a) autor(a)

Leave a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Time limit is exhausted. Please reload CAPTCHA.

ChatClick here to chat!+