Resenha Scientific 4# – Maio de 2015

VN:F [1.9.22_1171]
Rating: 0.0/10 (0 votes cast)

Book Sciam 156.indb

Oi, ambulance você que é mãe, que vai se tornar mãe, que está pensando em ser mãe e você que nem cogita isso, queridos leitores!

Faculdade tá pegando fogo, mas eu estou aqui para mais uma resenha! Também adianto, para aqueles que nunca me viram além do Facebook, do Instagram ou além dos posts por aqui, que eu participei de um hangout no sábado dia 9. A única coisa ruim é que foi um dia em que todos estavam com uma conexão péssima de internet; eu passei mais de 20 minutos off-line, mas consegui participar depois. O hangout foi realizado pelo canal Ciência e Astronomia e contou também com a participação da astrobióloga e geneticista da UFRJ Claudia Lage. Para assistir, clique aqui.

A edição deste mês da Scientific American traz como capa Anéis de Fogo, que expõe o problema do buraco negro e seu horizonte de eventos. O autor do estudo é o professor da Universidade da Califórnia Joseph Polchinski e seus colegas. A revista está disponível em todo o Brasil e custa R$ 12,90.

 

Avanços – A persistência da memória (página 10)

Durante muito tempo, cientistas pensavam que as memórias ficavam armazenadas nas sinapses. Agora, novos estudos através dos tratamentos em pacientes com transtorno pós-traumático com a droga propranolol revelam que as memórias não estão nas sinapses e sim dentro das células cerebrais. O estudo, além de ajudar os pacientes com transtorno pós-traumático, também vai ajudar as pesquisas com Alzheimer, doença ligada à memória.

Avanços – Fantasmas galácticos (página 14)

O sistema Dragonfly, que consiste em um jogo de lentes Canon aos telescópios do Novo México, capturou 47 ‘galáxias fantasmas’ que tem estrelas muito dispersas entre si. As galáxias estão no aglomerado Coma Berenice e já são ditas como laboratórios de matéria escura, indispensável para mantê-las coesas. Aliás, foi no Coma Berenice que a matéria escura foi detectada na década de 30 por pesquisadores.

Ciência em pauta: pelos editores – Vamos banir o bronzeamento (página 17)

Cerca de um quinto das meninas de 14 a 18 anos fez o uso de câmaras de bronzeamento no ano passado e uma em casa dez relatou ter usado pelo menos 10 vezes. As câmeras de bronzeamento artificial são uma grande porta para o câncer de pele, principalmente o melanoma que é a forma mais letal da doença. Nos Estados Unidos, são 14 mil estabelecimentos que usam essas máquinas e não há nenhuma restrição aos menores de idade, que usam sem controle.

Ciência da Saúde – Adoçantes artificiais passam por avaliação crítica (página24)

Um estudo israelense mostra que os adoçantes artificias, como aspartame, sucralose e sacarina, podem aumentar a população de bactérias intestinais que extraem a energia dos alimentos e as transformam em gordura. Esses adoçantes são encontrados em produtos como Coca Cola Diet e no creme dental que usamos diariamente. O estudo foi realizado em camundongos e, muito provavelmente, pode estar acontecendo em humanos também. O aumento desses microrganismos pode tornar disponível gordura o suficiente para alcançar várias partes do nosso corpo e nos levar a obesidade.

Dossiê especial Futuro da Medicina 2015 (página 27)

Este especial é dedicado a nanomedicina, que vem trazendo propostas incríveis e muito animadoras. Entre elas, está a medicação para o câncer em nanoescala que chega ao alvo sem ser destruído pelo organismo e uma atadura inteligente que, além de cobrir ferimentos, irá indicar se o ferimento estivá bem oxigenado e saudável e ministrarão medicação.

Artigo de capa – Anéis de fogo (página 37)

Nos anos 70, Stephen Hawking identificou falhas na teoria da relatividade de Einstein, fazendo com que vários cientistas ao redor do mundo se debruçassem em busca das respostas corretas. Entretanto, uma equipe de pesquisadores da Universidade da Califórnia descobriu que o horizonte de eventos abriga uma parede de partículas altamente letais, que podem até mesmo demarcar o fim do universo. Batizada de parede corta fogo, a proposta foi alvo de descréditos contínuos, mas pode ser uma saída surpreendente.

Pescados para bilhões (página 43)

A China, apesar de produzir um terço dos frutos do mar do mundo, consome muito mais que essa soma. Para isso, é necessário pensar em formas alternativas de criadouros de peixes de água doce e salgada se não quiser entrar em um verdadeiro colapso de vida aquática.

Controle a si mesmo e conquiste o mundo (página 51)

Você consegue controlar os seus impulsos? Ao contrário do que se pensava, o autocontrole não é algo conservador ou puritano, mas sim uma forma de enfrentar até os maiores males da sua vida e se dar bem no trabalho e nas relações íntimas – parceiros de pessoas com autocontrole confirmam isso. Pesquisas atuais estão mostrando que a autoestima não é a chave para uma vida boa e sim a capacidade de controlar a própria mente em diversas situações.

Como sobreviver à guerra cibernética (página 57)

De alguns anos pra cá, ouvimos falar de alguns grandes incidentes envolvendo empresas e hackers. Os cibercrimes serão cada vez mais comuns daqui pra frente e todo mundo pode ser um alvo. Contas bancárias na internet ou contas em rede sociais como o Facebook, contas em jogos ou até mesmo nossos celulares e computadores pessoais não estão protegidos. Dessa forma, empresas de cibersegurança podem amenizar essa situação, mas não podem fazer esse trabalho sozinhos. É necessária uma ação conjunta com os cidadãos comuns para combater essas invasões.

Evolução extrema (página 61)

O lago Vitória, na Africa, abriga 500 – atente para o drama: 500 – espécies de peixes ciclídeos. Essa espécies vivem apenas ali e foram alvo de um evolução com tempo extremamente pequeno se comparada a outras espécies de peixes: de 10 a 15 mil anos. Recentemente, o genoma dos ciclídeos começou a ser sequenciado dando algumas evidências para a sua diversificação tão impressionante em um único lugar.

Um gelo inconveniente (página 67)

Quando um robô de mar profundo estava vasculhando o fundo do oceano, encontrou um banco de hidrato de metano. Os hidratos de metano abrigam gás em estruturas geladas nos leitos oceânicos e, incrivelmente, armazenam mais energia que todas as reservas energéticas do mundo. Logo, pode ser uma grande alternativa de energia como também pode ser um grande liberador de gases estufa. Mesmo com os riscos, os estudos em cima dos hidratos de metanos são super recomendáveis.

A defaunação no antropoceno (página 75)

Podemos dizer que o Planeta Terra está passando pela sua sexta extinção em massa – cinco naturais e uma, a recente, causada pelos humanos. Afora o Dodô, há mais de 300 espécies de animais que foram extintas por conta das ações humanas desde 1500. Para parar com este evento lamentável, é preciso pensar desde o desmatamento até a queima de combustíveis fósseis.

No céu do mês, a observação por instrumentos e a olho nu será aprimorada graças ao céu limpo por conta das temperaturas mais baixas que precedem a chegada do inverno.

 

Não se esqueça: na revista tem muito mais coisa!

Por hoje é só. Mês que vem, tem mais!

 

Confira a Coluna Ciência em Pauta que foi ao ar no último dia 9 clicando aqui.

Siga-me nas redes sociais: Facebook e Instagram

Mande sugestões: mandesuapautaprayara@gmail.com

Autor(es):

Leave a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Time limit is exhausted. Please reload CAPTCHA.

ChatClick here to chat!+