O perigo da falta de senso crítico e ceticismo

Posted by on dez 13, 2011 in Artigos, Ateísmo, Ceticismo | 2 comments

VN:F [1.9.22_1171]
Rating: 10.0/10 (2 votes cast)

Fonte: Bar do Ateu Hoje acordei e ao ler meus emails fui presenteado por um ex-aluno com um texto muito interessante, malady onde apresentava-se estudos que questionavam a veracidade de um registro fóssil humano, page de 7 milhões de anos, pois, este se assemelhava ao fóssil de um macaco da época. Vou postar apenas o último parágrafo, o qual provocou um alvoroço de comentários cristãos e criacionistas no Blog: Fonte: http://hypescience.com É isso mesmo que você leu: 4200 mil anos Ora, logo me questionei, mas, só a cultura Egípcia tem mais de 6000 anos. A própria bíblia aponta, no criacionismo, que o homem  foi criado a aproximadamente 6000 anos atrás.  Esse tipo de texto inflama as pessoas: [Editado] É isso mesmo que você leu: 4200 mil anos, que, matematicamente exprime 4.2 milhões de anos, mas, se torna algo perigoso, como é possível ver no post abaixo: O comentarista pede para a autora apagar o mil, já que ele e boa parte dos leitores entendem que ela quis dizer 4200 anos. [/editado] (agradecimento ao colega José Geraldo Gouvêa) Ora, logo me questionei, mas, só a cultura Egípcia tem mais de 6000 anos. A própria bíblia aponta, no criacionismo, que o homem  […]

Read More

Pseudocientista “prova a existência de Deus” e ganha prêmio

Posted by on out 3, 2011 in Artigos, Ceticismo, Leitores | 18 comments

VN:F [1.9.22_1171]
Rating: 9.0/10 (6 votes cast)

Este artigo não é de um editor do Livres Pensadores e as opiniões nele externadas são de responsabilidade única e exclusiva de seu autor. “Através de leis da física e da filosofia, more about pesquisador polonês Michael Heller mostra que Deus existe e ganha um dos mais cobiçados prêmios. Ele montou a sua metodologia a partir do chamado “Deus dos cientistas”: o big bang, mind a grande explosão de um átomo primordial que teria originado tudo aquilo que compõe o universo.”. O que mais me assusta em relação a Michael Heller é o fator de alegar que provou a existência de Deus sendo que é impossível provar a existência ou a inexistência de Deus tornando assim a decisão de acreditar ou não em Deus inteiramente pessoal. O pensamento de Michael Heller se baseia em lógicas insanas com esta: “Essas questões, sem respostas pela física, encontram um ponto final na religião – ou seja, encontram Deus”. Para ele a questão se resume: “O que ainda não se descobre a causa só pode ter sido criado por Deus”, é importante frisar que antigamente não sabíamos as causas das chuvas, tempestades, as origens da vida e da Terra graças a movimentos iluministas e […]

Read More

A visão Analítico Comportamental da Lógica

Posted by on set 3, 2011 in Artigos, Ceticismo, Filosofia | 0 comments

VN:F [1.9.22_1171]
Rating: 10.0/10 (2 votes cast)

Originalmente publicado no blog Análise Funcional, ambulance neste artigo. Ultimamente, seek venho me deparado onde quer que exponho minhas idéias (me relaciono verbalmente sob o controle de conceitos), com uma dificuldade de inúmeras pessoas de pensar de forma lógica. Mas afinal o que viria a ser a lógica? Aristóteles: o “Pai” da Lógica. Uma definição possível de lógica é a seguinte: “Lógica (do grego clássico ?????? logos, que significa palavra, pensamento, ideia, argumento, relato, razão lógica ou princípio lógico), considerada uma ciência formal, é o estudo formal sistemático dos princípios da inferência válida e do pensamento correto”. (Wikipédia) Ok, Ok, mas o que viria a ser Inferência, e o que a tornaria válida? Inferência consiste em baseado em duas ou mais premissas, que nada mais são do que enunciados verbais sobre o controle de caracteristicas do contexto (Tactos) induzir um enunciado verbal derivado delas (ou seja um Intraverbal Auto-Clítico). Um exemplo de premissa: B. F. Skinner é um homem. Uma premissa pode também ser chamada de afirmação, nada mais faz do que descrever um estado de coisas dado certa situação. Note que o responder estava não só sob o controle de B. F. Skinner mas também da classe de equivalência (Conceito) de Homem, ou seja todas as características compartilhadas ao nome homem que podem […]

Read More

Vultos e Fantasmas. Experiência Pessoal.

Posted by on jul 23, 2011 in Artigos, Ceticismo, Curiosidades | 4 comments

VN:F [1.9.22_1171]
Rating: 10.0/10 (15 votes cast)

Hoje de madrugada, mind logo após desligar o pc (cerca de 5 horas da manhã), fui até o micro-ondas pegar um pedaço de pizza, foi quando enxerguei alguém ao meu lado e levei um baita susto.  Olhei de relance e mais ninguém estava lá. Naquele milésimo de segundo passou pela minha cabeça estar ao alguém do meu lado, seja minha irmã, mãe etc, que no barulho de descer as escadas e entrar na cozinha poderia ter acordado com o barulho e eu sem perceber por estar cansado ter entrado pouco após na cozinha. Mas como disse anteriormente, não havia ninguém lá. Vulto? Paranormalidade? Fantasmogênese? Parei, sentei e avaliei toda a situação no fervor do momento, no qual ainda estava com a mente em alerta (como a mente automaticamente cria um “alarme” em situações de surpresa ou repentinidade como de costume), por ter observado algo de forma tão real em surpresa há poucos segundos. Como em certos casos de avistamentos, devemos sempre abrir hipóteses e analisar a situação de forma no mínimo aprofundada, já no mesmo horário da situação na mesma hora, porque depois, podemos ter esquecidos muitos dos pontos e características presente do local no horário do acontecimento. Por observação, […]

Read More

O valor do ceticismo e do livre pensamento

Posted by on jul 8, 2011 in Artigos, Ceticismo, Filosofia | 7 comments

VN:F [1.9.22_1171]
Rating: 8.0/10 (3 votes cast)

À medida que desconhecemos a natureza que tange a duas opiniões divergentes, buy devemos suspender o julgamento a fim de sermos livres para indagar sobre as múltiplas hipóteses que sustentariam uma possível afirmação sobre a natureza do desconhecido. No mais, a única afirmação que podemos ter, é que não temos uma afirmação. Com o propósito, então, de chegarmos a um ponto em que nossa razão aceite o fato com tranquilidade, devemos estar cientes da nebulosidade do fato em questão. Devemos então proceder como céticos, estando propícios a sempre nos desprender de nossas crenças, à medida que elas não se fundamentam. Devemos ter em mente, que nossas crenças devem ser o máximo flexíveis, a ponto de ponderá-las sempre que novos estudos as corroborem, ou, caso contrário, devemos descartá-las. A prudência diante de cada objeto de estudo deve ser então amparada pelo ceticismo. Não o ceticismo pirrônico que mais se aproxima a um pensamento dogmático, mas sim de um ceticismo metodológico, em que se: “considera que a realidade é passível de apreensão e proposições verdadeiras podem ser feitas sobre ela. Todavia reconhece não haver garantia “a priori” da veracidade de qualquer afirmativa sobre a realidade (entendida como o que a coisa em […]

Read More

Por que o universo não pode ter surgido por acaso?

Posted by on jul 1, 2011 in Artigos, Ateísmo, Ceticismo, Ciência, Crônicas, Traduções | 7 comments

VN:F [1.9.22_1171]
Rating: 7.0/10 (3 votes cast)

Autor: Jeronimo Freitas      Revisor: Leo Lauria       Fonte Parcial: Blame Hitchens, visit this Dawkins & Harris – Essays of a New Atheist O texto abaixo junta uma tradução que fiz do artigo A billion flushes in a row, rx publicado no livro Blame Hitchens, and Dawkins & Harris – Essays of a New Atheist, à minha própria opinião (baseada nas mais recentes teorias científicas) sobre a origem da vida, que pode ser estendida à origem do universo.   Vamos supor que um chimpanzé, digitando aleatoriamente em um teclado de computador, escrevesse a seguinte frase: “jesus loves apes” (Jesus ama os símios).   Qual seria a probabilidade de que ele escrevesse tal frase? A resposta é: uma chance em 79.77 sextilhões (1/79766443080000000000000). Nós certamente somos tentados a achar que, caso isso ocorresse, teríamos presenciado algum tipo de intervenção divina, posto que é algo que nos parece impossível de acontecer por mero acaso. Ademais, o fato de o chimpanzé escrever “jesus” sugeriria a interferência do senhor Jesus Cristo.   Vamos supor agora que o chimpanzé, ao invés de digitar aquilo, digitasse: “akbsj nq zzm utt”. Qual a probabilidade de ele escrever tal frase? A resposta é: uma chance em 79.77 sextilhões (1/79766443080000000000000). Novamente […]

Read More

Campo eletromagnético não tem nada de místico

Posted by on jun 29, 2011 in Artigos, Ceticismo | 0 comments

VN:F [1.9.22_1171]
Rating: 10.0/10 (1 vote cast)

Autor: Eduardo Patriota Gusmão Soares Fonte: Uma Visão do Mundo. É muito comum os espíritas e místicos em geral usurparem o termo “campo eletromagnético” para explicar como ocorrem certos fenômenos que eles alegam existir. Eles fazem parecer que somos controladores destes campos e que interagindo com eles poderíamos realizar mágicas, capsule ou entrar em contato com espíritos, viagra approved enfim, this despertaríamos para o mundo das coisas sobrenaturais. Novamente, não foi desta vez que os místicos e religiosos conseguiram nos convencer que o mundo fantástico deles (que eles tanto querem que exista) é uma realidade. Um pouco sobre eletromagnetismo Antes de prosseguir, precisamos do conceito científico e já bem estudado sobre o que é um campo eletromagnético. Você pode procurar por textos na internet, mas o vídeo abaixo (apesar de um pouco sonolento) lhe dará uma base para começarmos. Pois bem, assim fica definido que a onda eletromagnética é esta mútua alternância entre uma variação de campo magnético que gera um campo elétrico (uma diferença de potencial entre dois pontos no espaço) e uma variação no campo elétrico que produz uma corrente e que gera um campo magnético, onde um sustenta o outro e ambos se propagam enquanto houver energia […]

Read More

A ciência, a ufologia e o paranormal

Posted by on maio 6, 2011 in Artigos, Ceticismo | 1 comment

VN:F [1.9.22_1171]
Rating: 10.0/10 (1 vote cast)

Autor: Marcelo Esteves Nós, recipe céticos, information pills somos pródigos em exigir evidências. Cobramos, com rigor, o “ônus da prova.” Examinamos alegações extraordinárias à luz de comprovações extraordinárias. Dissecamos argumentos com a navalha de Ockham. Somos impiedosos com fraudes, falácias e pseudociências. Vigiamos o universo da experiência humana com olhos constantemente atentos e gestos sempre prontos. Somos paladinos da ciência e do pensamento crítico. E, muitas vezes, somos o nosso próprio viés. Não é possível sermos céticos sem termosuma certa aura de cientistas. O cientista é aquele que, reconhecendo seu viés, não o nega, não o esconde, mas confia na correção do método para aplacá-lo de maneira suficiente. Duvida por profissão, questiona por necessidade e submete-se à experiência, por honestidade.  Ele não teme expor suas hipóteses, ou a falta delas; não teme ser desmentido por experimentos; não se prende a princípios filosóficos que deva preservar. É livre no sentido mais amplo do termo, pois é fiel a um compromisso simples: honrar a dialética do saber, a superação do conhecimento pelo conhecimento. Sem esta aura de cientistas, seremos céticos ranzinzas, espantalhos de novas ideias e bedéis de uma ciência velha. O ceticismo pressupõe, no limite, uma necessária suspensão do juízo. Mas […]

Read More

Experiência Mística

Posted by on maio 5, 2011 in Ateísmo, Ceticismo, Filosofia | 4 comments

VN:F [1.9.22_1171]
Rating: 10.0/10 (3 votes cast)

  Afinal, ed o que seria essa experiência, generic o que a definiria? Uma súbita sensação de paz? Um certo clamor inimaginável? Uma visão inexplicável? O que seria essa Experiência Religiosa? Aquele que a teve, sildenafil que a proclame. Eu não tive. Terei? Não sei. Não sei o que irei vivenciar. Não sei se irei vivenciar. Não sei se pode ser vivenciado . Acreditar no que é me dito? Porque não? Se eu vivê-lo, que ao menos não me reste dúvidas. O que estarei vivenciando?! De onde origina-se?! De quem origina-se?! Enquanto isso, prefiro acreditar no que tenho em mãos. O mistério é real. Pois ele está presente. Talvez sempre estará. E por simplesmente estar, é que me faz querer conhecê-lo. Que me faz ser nobre. Que me faz caminhar. Mas não o nomeio. Apenas acolho como simplesmente é, Mistério. Se eu soubesse, não chamaria de mistério. Pois esse é o espírito. Isso que é o mistério. O mistério é aquilo que nos intriga. Ou melhor, me intriga. Me instiga a imaginá-lo, a conhecê-lo. Me faz admirá-lo. Ter medo? Medo do que? De quem? E por que terei? Por não ter passado por essa experiência, não me faz descrer de […]

Read More

Pedra maia é exibida para desmentir anúncio do fim do mundo em 2012

Posted by on abr 20, 2011 in Artigos, Ceticismo | 0 comments

VN:F [1.9.22_1171]
Rating: 8.0/10 (2 votes cast)

Por: Da France Presse Fonte: esta notícia do G1. Peça foi mostrada na cidade de Tabasco, help no México. Arqueólogo garante que não há escritos sobre o Apocalipse. A pedra do calendário maia que foi interpretada erroneamente como um anúncio do fim do mundo marcado para dezembro de 2012 foi apresentada na terça-feira (29) em Tabasco, sudeste do México. A peça é formada de pedra calcária e esculpida com martelo e cinzel, e está incompleta. “No pouco que podemos apreciá-la, em nenhum de seus lados diz que em 2012 o mundo vai acabar”, enfatizou José Luis Romero, subdiretor do Instituto Nacional de Antropologia e História. Na pedra está escrita a data de 23 de dezembro de 2012, o que provocou rumores de que os maias teriam previsto o fim do mundo para este dia. Até uma produção hollywoodiana, “2012”, foi lançada apresentando esse cenário apocalíptico. “No pouco que se pode ler, os maias se referem à chegada de um senhor dos céus, coincidindo com o encerramento de um ciclo numérico”, afirmou Romero. A data gravada em pedra se refere ao Bactum XIII, que significa o início de uma nova era, insistiu o pesquisador. Por: Da France Presse Fonte: esta notícia […]

Read More

A “farsa” da ida do homem à Lua II

Posted by on abr 12, 2011 in Artigos, Ceticismo | 1 comment

VN:F [1.9.22_1171]
Rating: 9.8/10 (4 votes cast)

Há algum tempo, eu escrevi e publiquei aqui no LP o texto A “farsa” da ida do homem à Lua. Tivemos 6 comentários postados nele, mais a reação de colegas da comunidade de astronomia do Orkut, dentre outros, que foram muito boas. Até por causa dessa resposta positiva, eu havia decidido fazer uma segunda postagem sobre o tema, para cobrir alguns pontos que acabaram ficando de fora daquele artigo. Contudo, não é o caso deste artigo. Aqui quero me focar num trecho, do “capítulo” (digamos assim) entitulado “Por que essa história cresceu tanto?”. O trecho é o seguinte: Que eu saiba, só conheci uma pessoa que acreditava que o homem nunca havia ido à Lua. Acreditava, no passado, porque essa pessoa já é falecida. Mas essa pessoa era alguém simples, do povo mesmo. Era genial no que fazia (um pouco de marcenaria e era pedreiro), mas todo o que tinha era sua intuição e o que aprendeu na prática mesmo: nunca teve a chance de estudar. E sabemos muito bem como as igrejas atingem essas pessoas. Pode ser difícil de acreditar, mas no interiorzão de nosso país, onde a educação chega mal e porcamente (quando chega), existem muitos que ainda […]

Read More

CD de Rap dedicado ao Evolucionismo. Rap 100% Científico “manô”

Posted by on abr 11, 2011 in Artigos, Ateísmo, Ativismo, Ceticismo, Musicais, Poesias | 0 comments

VN:F [1.9.22_1171]
Rating: 10.0/10 (14 votes cast)

Apresento-lhes Baba Brinkman, um rapper que gravou um CD inteiro totalmente dedicado ao Evolucionismo de Darwin, com músicas de títulos como “Natural Selection” “Darwin’s Acid” “DNA” “Creationism Is…” Abaixo posto o link legendado das música “Natural Selection” que possui a participação inicial especial em áudio, de nada mais nada menos que o próprio Richard Dawkins, e “I’m A African”. *(Caso a legenda não esteja habilitada é necessário apertar o botão CC logo abaixo do vídeo) Aqui o link do próprio site de Bada aonde é possível realizar dowload ou ouvir as músicas através de streaming: Link do cd The Rap Guide to Evolution http://bababrinkman.bandcamp.com/album/the-rap-guide-to-evolution Link do seu site com alguns outros CDs de sua própria autoria como, “The Rap Guide to Human Nature”, “Adaptive Medicine” e “Don’t Vote For Mean People” http://bababrinkman.bandcamp.com/ “É tudo nosso manô.” 🙂 I’m A African – Baba Brinkman (legendado) http://www.youtube.com/watch?v=GA3pYYIj0NI

Read More

A dança dos signos

Posted by on mar 2, 2011 in Artigos, Ceticismo | 13 comments

VN:F [1.9.22_1171]
Rating: 6.0/10 (2 votes cast)

Segundo a astrologia, sildenafil cada uma das 12 constelações (correspondentes a 12 signos) influencia o destino das pessoas, buy information pills conforme o período do ano em que cada um nasce. Segundo a Wikipedia: Os Signos do Zodíaco ou Signos Zodiacais são cada uma das doze constelações que se localizam na faixa do Zodíaco. Os signos são regidos por seres no universo, que podem ser planetas, estrelas e até a Lua. Entre estes seres, estão: Marte, Vénus, Mercúrio, Lua, Sol, Júpiter, Saturno, Úrano e Neptuno, respectivamente. Há uma polêmica que atormenta os astrólogos há algum tempo: existe uma 13ª constelação na elíptica, chamada Ofíuco (ou Serpentário). Enquanto alguns defendem a inclusão de um 13º signo, alguns tentam ignorar a existência de Ofíuco, alegando que o zodíaco é definido por energias cósmicas, e não literalmente pelas constelações. Mas, afinal… Qual é a importância disso? De fato nenhuma, deveria ser apenas mais uma curiosidade. Contudo, muitos, em pleno século XXI, acreditam na astrologia. Para colocar uma pimenta nisso, recentemente astrônomos do Planetário de Minnesota, nos EUA, pegaram o zodíaco original (que é babilônico), adicionaram o 13º signo que havia sido ignorado (Ofiúco) e recalcularam as datas que correspondem a cada signo, para […]

Read More

Discos Voadores: Reais?

Posted by on fev 23, 2011 in Artigos, Ceticismo | 6 comments

VN:F [1.9.22_1171]
Rating: 10.0/10 (1 vote cast)

Introdução A expressão “disco voador” foi criada na década de 40 para tentar explicar o relato de Kenneth Arnold, dosage que alegava ter visto 9 objetos incomuns voando em formação, próximo ao Monte Rainier, em Washington, EUA, em 24 de junho de 1947. Na realidade, os objetos descritos por Kenneth Arnold sequer formato de discos voadores tinham, lembravam mais uma “asa voadora”, como expliquei no texto “O que Kenneth Arnold realmente viu no Monte Rainier?”. Quanto a objetos em forma de disco mesmo, existem relatos e até fotos, como pode ser visto abaixo. Algumas destas fotos são fraudes já desmascaradas, outras até hoje não foram muito bem explicadas. No caso da foto acima, ela foi tirada por Paul Villa em 16 de julho de 1963, no Novo México, EUA. E ela é uma fraude: trata-se de um modelo de tamanho reduzido sustentado por fios, como pode ser lido no artigo “Paul Villa” do Ceticismo Aberto. Mas será que os discos voadores existem mesmo? Pois por incrível que pareça, existem sim. Ou ao menos 4 deles. Só que, óbvio, todos eles criados pelo homem. Vamos conhecê-los? Avrocar O Avrocar (Avro Canada VZ-9 Avrocar) foi um projeto de um veículo voador circular, […]

Read More

O que Kenneth Arnold realmente viu no Monte Rainier?

Posted by on fev 9, 2011 in Artigos, Ceticismo | 3 comments

VN:F [1.9.22_1171]
Rating: 7.0/10 (4 votes cast)

A chamada “era dos discos voadores” foi inaugurada com o relato de Kenneth Arnold, que alegava ter visto 9 objetos incomuns voando em formação, próximo ao Monte Rainier, em Washington, EUA, em 24 de junho de 1947. O fato é que, na realidade, o formato dos objetos descritos por Kenneth Arnold não era lenticular (em forma de lente ou disco). Nem de longe lembravam um disco voador, como pode ser visto na imagem abaixo. A explicação mais aceita hoje é a de que os objetos que ele viu eram, na realidade, pelicanos brancos em voo, como pode ser lido neste ótimo artigo no Ceticismo Aberto. E há realmente uma semelhança no formato do objeto descrito por Kenneth Arnold com um pelicano branco em voo, como pode ser visto na imagem abaixo.   Pelicanos brancos em voo.   Contudo, para mim, os objetos lembravam bastante o formato de uma “asa voadora”, ou seja: aviões feitos em formato de asa, quase “triângulos voadores”, ou “bumerangues voadores”. E, de fato, já existiam alguns naquela época. Dentre estes, os projetos americanos Freel Flying Wing e o Northrop N-1M, contudo há problemas para usar qualquer um dos dois como explicação ao relato de Kenneth Arnold. […]

Read More

Página 4 de 512345
ChatClick here to chat!+